Português English

Conselho Nacional de Direitos Humanos repudia ato presidencial que convoca Forças Armadas

Inserido por: Administrador em 24/05/2017.
Fonte da notícia: Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH)

Em meio a uma poderosa frente unificada de lutas dos movimentos sociais contra as reformas trabalhista e previdenciária, somado dos gritos de Diretas Já! diante da total ilegitimidade de um governo envolvido com uma escala de escândalos, Michel Temer apelou e em um decreto convocou as Forças Armadas para garantir "a lei e a ordem" no Distrito Federal.


A medida ocorreu após a polícia reprimir com virulência as manifestações desta quarta-feira, 24, em Brasília. O ato de Temer causou profunda indignação não apenas entre os movimentos sociais, mas também de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), parlamentares e opinião pública.


O Conselho Nacional de Direitos Humanos (CNDH), do qual o Conselho Indigenista Missionário (Cimi) faz parte, publicou uma nota repudiando o decreto e exigindo a sua revogação.


Leia na íntegra:



NOTA DE REPÚDIO AO DECRETO PRESIDENCIAL DE 24 DE MAIO DE 2017, QUE AUTORIZA O EMPREGO DAS FORÇAS ARMADAS PARA A “GARANTIA DA LEI E DA ORDEM” NO DISTRITO FEDERAL

 

O Conselho Nacional dos Direitos Humanos – CNDH, órgão criado pela Lei nº 12.986/2014, repudia o uso das Forças Armadas para reprimir legítima manifestação de Movimentos Sociais na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, no dia 24 de maio de 2017, contra a retirada de direitos constitucionalmente assegurados, após brutal repressão policial contra os manifestantes, comprometendo a estabilidade das instituições democráticas e republicanas deste país.

 

O Conselho repudia, igualmente, a extensão dos efeitos do Decreto Presidencial de 24 de maio de 2017 por uma semana, quando é de conhecimento público que o ato foi convocado apenas para a tarde deste dia 24 de maio, o que caracteriza inadmissível Estado de Sítio de fato.

 

O CNDH se posiciona pela revogação imediata do Decreto.

 

Brasília-DF, 24 de maio de 2017.

 

CONSELHO NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS – CNDH


No Brasil

Congresso anti-indígena: 33 propostas, reunindo mais de 100 projetos, ameaçam direitos indígenas

Levantamento do Cimi identificou principais ameaças em tramitação na Câmara e no Senado. 18 das 33 propostas foram apresentadas nos últimos três anos

Disputas pelo poder político causam aumento da violência contra os povos indígenas

Ao longo de 2016 percebeu-se que o poder Judiciário, em primeira instância e nos tribunais regionais federais, tratou de seguir a lógica do Governo Temer tomando para si a centralidade das discussões...

Violência contra indígenas no Brasil aumenta nos gabinetes e nas aldeias

Esta é uma das constatações retratadas no Relatório Violência Contra os Povos Indígenas no Brasil – dados de 2016, lançado na tarde desta quinta-feira, 5, em Brasília

Indígenas e organizações da sociedade civil denunciam violações de direitos a relator especial da ONU

Na última segunda-feira (02), organizações da sociedade civil denunciaram as violações de direitos humanos ocorridas no Brasil ao relator especial das Organizações das Nações Unidas (ONU), Michel...

Cimi lança nesta quinta, 05, relatório 'Violência Contra os Povos Indígenas do Brasil - Dados 2016'

Cimi lança nesta quinta, às 14h30, na sede nova da CNBB, relatório que sistematiza diversos tipos de violência e violações de direitos praticadas contra os povos indígenas no Brasil em 2016

Total de Resultados: 650

Página atual: 1 de 130

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv