Português English

Conselho de Gestão Ka'apor divulga carta reforçando a organização interna do povo em face de ingerências externas

Inserido por: Administrador em 29/08/2017.
Fonte da notícia: Assessoria de Comunicação - Cimi



Karai é como os Ka'apor se referem ao branco - e é justamente o karai que nos últimos meses vem questionando a principal organização do povo, o Conselho de Gestão Ka'apor. Por essa razão, o grupo, que possui representantes das aldeias da Terra Indígena Alto Turiaçu, no Maranhão, divulgou uma carta reforçando o direito de organização política própria do povo e seu papel no interior do território tradicional.  


"O Conselho de Gestão Ka'apor é uma organização de nossa cultura, representa todo nosso povo e está dando certo pra gente. Tem karai que trabalha na Funai, na Seduc e no Polo Base e Dsei Maranhão que nunca entendeu nossa cultura, que trabalha aqui só por causa dinheiro e emprego. Não aceita o conselho de gestão Ka'apor porque a gente cobra, fiscaliza, acompanha, denuncia", diz trecho da carta.


Leia na íntegra:


Território Indígena Alto Turiaçu – Maranhão


Povo Ka’apor


Jumu’e ha renda Keruhu - Centro de Formação Saberes Ka’apor

Tuxa - Conselho de Gestão Ka’apor


Nosso Plano de Vida e nossa força é maior que as mentiras e ameaças do governo e madeireiros


Nós do Conselho de Gestão Ka’apor queremos esclarecer pra vocês que nossa organização é do nosso povo. Surgiu da nossa cultura, representa nossos antigos Tuxa. Nós temos uma história que fala da origem dos Tuxa, do nosso Conselho de Gestão Ka’apor.


Em 2003 a funai trouxe um papel pra nós e disse que era a associação. Eles escolheram alguns indígenas e colocaram como diretoria. A gente pensava que ia ajudar a gente defender nossa cultura, nosso território. Mas no final de 2015 a funai do maranhão volta e no início de 2016 eles tomou da gente a associação sem fazer eleição. Pegaram os documentos escreveram uma ata, foram no cartório e registraram. Eles escolheram algumas lideranças que era do nosso conselho e ofereceu emprego pra eles. Eles são de três aldeias com apoio de alguns parentes de outras aldeias. Agora eles estão contra a gente. A gente viu que o governo sempre dividiu e enganou os parentes.


O Conselho de Gestão Ka'apor é uma organização de nossa cultura, representa todo nosso povo e está dando certo pra gente. Tem karai que trabalha na funai, na seduc e no polo base e Dsei Maranhão que nunca entendeu nossa cultura, que trabalha aqui só por causa dinheiro e emprego. Não aceita o conselho de gestão Ka'apor porque a gente cobra, fiscaliza, acompanha, denúncia.  


Tem karai que está usando nossos parentes pra fazer documentos contra nosso conselho de gestão, contra nossos apoiadores, como o josé. Porque eles incentiva e apoia a gente a fazer a gestão de tudo do nosso jeito sem ficar esperando e dependendo do governo. Eles ajudam a gente a organizar nossa educação valorizando nossa língua, cuidando de nossa floresta e proteger nosso território. Apoiam a gente plantar como nossos antigos kaapor para gente comer melhor sem negociar com madeireiro, não colocar pasto e roça grande, não ter alcoolismo, não ter brigas e fofocas, não mentir e negociar nossa floresta.


Esses karai do governo, da Funai querem tirar eles pra gente ficar cego, fazer festa de karai, ficar bêbado, vender madeira e estacas, brigar e se cortar na aldeia, depender remédio da farmácia, do comércio, ficar doente, destruir e eles tomar nosso território. Assim está acontecendo nas aldeias que o governo trouxe energia elétrica e acompanha. Eles e os madeireiros estão telefonando, ameaçando de morte lideranças do conselho e o josé porque eles querem voltar a derrubar nossas floresta e roubar madeira. Nós vamos defender nosso território até a morte.


Esse pessoal do governo que ataca o conselho de gestão e nossos apoiadores são evangélicos e parente de madeireiros, fazendeiros. Eles que tem ser expulso daqui porque apoiam e estão fazendo lei pra acabar com nossos direitos e dos quilombolas, invadir  e tomar nossos territórios.


Nós vamos continuar valorizando nossa educação, cultura e nossa língua. Realizando trabalho com nossos guardas florestais pra defender nosso território e melhorar nossa alimentação com nossos kupixa pua – roça tradicional. Valorizando nossos curadores, parteiras e pajés para cuidar de nossa saúde. Vamos continuar lutando do nosso jeito com nossos apoiadores que respeitam nosso jeito de fazer a gestão pra gente continuar construindo nosso Bem Viver aqui e agora.


Conselho de Gestão Ka'apor


MA

VII Encontrão da TEIA dos Povos e Comunidades Tradicionais do Maranhão tem início no quilombo Cocalinho

Nesta edição, espera-se cerca de 700 pessoas de povos e comunidades tradicionais de todo o estado para discutir o tema "Nosso território sagrado: bem viver, memória, luta e esperança”. Foto: Ingrid...

VÍDEO | Os gamella, um povo em busca de sua identidade

Grupo no Maranhão luta para ser reconhecido como indígena e ter as terras de seus ancestrais demarcadas

Povos mobilizados na Funai de São Luís (MA) repudiam postura da coordenadora-substituta regional do órgão

Nota Pública - "Sentimos na pele o peso do racismo e preconceito de instituições"

Ocupação Krepym e Krenyê à Unidade Regional de Educação: Governo do Maranhão segue sem ouvir os povos

Indígenas dos povos Krepym Katejê e Krenyê realizam a ocupação desde o dia 9

Povos Akroá-Gamella, Tremembé e Krenyê entram na 3ª semana de ocupação na Funai, em São Luís (MA)

Os povos reivindicam demandas ainda não contempladas - ou pelo menos não atendidas integralmente. A situação mais emblemática envolve o Núcleo de Direitos Sociais e Cidadania

Total de Resultados: 241

Página atual: 1 de 49

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv