Português English

MPF/MA recebe denúncia de violência por madeireiros contra os Awá-Guajá

Inserido por: Administrador em 21/09/2011.
Fonte da notícia: Assessoria de Comunicação do MPF/MA

Representantes do Conselho Indígena Missionário (Cimi) e indígenas da etnia Awá- Guajá, da Terra Indígena Caru, localizada no município de Bom Jardim (MA), se reuniram com o procurador da República Alexandre Silva Soares, nesta terça-feira (20), na sede da Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA), para reafirmar que os índios continuam sofrendo ameaças por parte de madeireiros que estão ocupando o território indígena.

Participaram da reunião, além dos indígenas, o procurador da República, juntamente com as representantes do Cimi, Rosimere Diniz e Madalena Borges e os advogados Diogo Cabral e Igor Almeida, representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB e da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.

As representantes do Cimi afirmaram que a Fundação Nacional do Índio (Funai) está sendo omissa em relação às denúncias e alega que não tem condições de manter uma fiscalização permanente no local por falta de recursos.

O procurador ressaltou a importância da presença da Funai na região e afirmou que é papel da entidade garantir a segurança e a manutenção do espaço de vida dos índios.

Ele atentou, também, para o problema do desmatamento praticado pelos madeireiros, que afeta sensivelmente os meios de sobrevivência dos índios. Com relação a esse ponto, o MPF frisou que já existem ações judiciais contra os infratores, mas que irá ressaltar à Funai e ao Ibama a necessidade de presença permanente dos órgãos de fiscalização.

Ainda segundo o procurador, as investigações quanto ao fato agora denunciado estão em fase inicial, e muitos pontos ainda não podem ser divulgados para a imprensa. Entretanto, afirmou que o Ministério Público Federal (MPF) já está cobrando ações de fiscalização intensiva por parte da Funai, além de providências de segurança por parte do governo federal para garantir a preservação dos índios Awá-Guajá.

MA

Um mês após assassinato de indígena no MA, madeireiros não foram intimados e voltam a invadir território Ka’apor

Indígenas denunciam ameaças, perseguições e a retomada da atividade madeireira na Terra Indígena Alto Turiaçu. Apesar de recomendação do MPF, Policia Federal não abriu inquérito para investigar...

Indígenas Krenyê e Gamela denunciam descaso da Funai e Dsei no Maranhão

Medidas foram cobradas ao Ministério Público Federal em caráter de urgência

Organizações pedem que governo afaste policiais locais da investigação sobre assassinato de Eusébio Ka’apor

Indígenas denunciaram que polícia também está envolvida na exploração ilegal de madeira na região

A força do povo Gamela: “Pensavam que nós éramos matutos, mas nós somos índios”

O povo retomou a luta pelo reconhecimento étnico e territorial em 2013. Há quase cinco meses aguardam o conserto do carro da Funai para que os servidores visitem a comunidade

Ka’apor denunciam madeireiros por assassinato de indígena da TI Alto Turiaçu, no MA

Eusébio Ka’apor foi morto no domingo (26) com um tiro nas costas depois de ser abordado por duas pessoas encapuzadas na entrada de um povoado

Total de Resultados: 131

Página atual: 1 de 27

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv