Português English

MPF/MA recebe denúncia de violência por madeireiros contra os Awá-Guajá

Inserido por: Administrador em 21/09/2011.
Fonte da notícia: Assessoria de Comunicação do MPF/MA

Representantes do Conselho Indígena Missionário (Cimi) e indígenas da etnia Awá- Guajá, da Terra Indígena Caru, localizada no município de Bom Jardim (MA), se reuniram com o procurador da República Alexandre Silva Soares, nesta terça-feira (20), na sede da Procuradoria da República no Maranhão (PR/MA), para reafirmar que os índios continuam sofrendo ameaças por parte de madeireiros que estão ocupando o território indígena.

Participaram da reunião, além dos indígenas, o procurador da República, juntamente com as representantes do Cimi, Rosimere Diniz e Madalena Borges e os advogados Diogo Cabral e Igor Almeida, representante da Comissão de Direitos Humanos da OAB e da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos.

As representantes do Cimi afirmaram que a Fundação Nacional do Índio (Funai) está sendo omissa em relação às denúncias e alega que não tem condições de manter uma fiscalização permanente no local por falta de recursos.

O procurador ressaltou a importância da presença da Funai na região e afirmou que é papel da entidade garantir a segurança e a manutenção do espaço de vida dos índios.

Ele atentou, também, para o problema do desmatamento praticado pelos madeireiros, que afeta sensivelmente os meios de sobrevivência dos índios. Com relação a esse ponto, o MPF frisou que já existem ações judiciais contra os infratores, mas que irá ressaltar à Funai e ao Ibama a necessidade de presença permanente dos órgãos de fiscalização.

Ainda segundo o procurador, as investigações quanto ao fato agora denunciado estão em fase inicial, e muitos pontos ainda não podem ser divulgados para a imprensa. Entretanto, afirmou que o Ministério Público Federal (MPF) já está cobrando ações de fiscalização intensiva por parte da Funai, além de providências de segurança por parte do governo federal para garantir a preservação dos índios Awá-Guajá.

MA

TI Krikati sofre com assassinato, suicídios, invasões e decisão da Justiça Federal por novo laudo demarcatório

"Estamos num momento crítico, com uma decisão judicial que acirrou o conflito e as ameaças contra o nosso povo", explica Edilena Krikati

A negligência após o contato: mais um esteio da memória indígena Awá Guajá que tomba

No dia 17 de julho morreu Jakùxia Awá Guajá. O indígena vivia na aldeia Awá, Terra Indígena (TI) Caru, município de Bom Jardim (MA). É o sétimo Awá Guajá que morre em 10 anos após contato.

II Encontro da TEIA dos Povos Indígenas do Maranhão reforça unidade contra 'projetos de morte' e violência

"Sentimos as dores dos nossos parentes Gamella, dos tiros de fazendeiro contra indígenas Krikati, nos preocupamos com as ameaça de madeireiros de invasão da aldeia Rubiácea (Gavião)"

Madeireiros se reúnem e ameaçam invadir aldeia Pyhcop Catiji Gavião (MA)

"As mulheres e as crianças estão deixando a aldeia, indo pra outras. Estamos nós aqui prontos pra resistir, mas não queremos violência e já comunicamos as autoridade", diz

A Teia poupa vidas

VI Encontrão de Povos e Comunidades Tradicionais do Maranhão reuniu cerca de 600 integrantes de povos e comunidades e contou com a presença do líder seringueiro Osmarino Amâncio

Total de Resultados: 224

Página atual: 1 de 45

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv