Português English

Funai tem “solução” para conflito no MS: acordo com Raízen

Inserido por: Administrador em 16/02/2017.
Fonte da notícia: Por De Olho nos Ruralistas


Túmulo Guarani e Kaiowá entre o canavial. Crédito: Egon Heck/Cimi-MS


A Fundação Nacional do Índio (Funai) decidiu: a necessidade que o governo tem de estar bem com o mundo empresarial vale um caminhão. Notícia de hoje no site da instituição: “No ano em que comemora 50 anos, Funai recebe apoio em área de conflito“. O presidente da instituição, Antônio Costa, recebeu de representantes da Raízen a doação de um caminhão para a coordenação em Dourados – município central no caso dos conflitos envolvendo povos indígenas no Mato Grosso do Sul.


A Funai diz que o caminhão climatizado “propiciará condições estruturais para que os indígenas tenham acesso a todos os direitos sociais”, e facilitará parcerias com outras instituições.


O avanço da cana de açúcar no Mato Grosso do Sul é um dos grandes responsáveis, nas últimas décadas, pelo confinamento dos povos Guarani Kaiowá, Guarani Ñandeva e Terena em áreas minúsculas. A violência contra os povos indígenas – que são vítimas diárias de discriminação – matou centenas de pessoas nos últimos anos.


“Que bom seria se todas as empresas tivessem essa sensibilidade e essa iniciativa”, afirmou o presidente da Funai sobre a doação. A notícia traz ainda um item chamado “açúcar ético”, sobre a cadeia produtiva do açúcar. E lembra que, em 2012, a Raízen assinou um termo de cooperação com a Funai, comprometendo-se a não adquirir açúcar de terras indígenas.


Em entrevista ao Valor, na segunda-feira, Costa – um representante do PSC no governo – criticou o que chamou de Funai assistencialista: “Temos que produzir sustentabilidade, ensinar a pescar”. Uma das atividades seria o ecoturismo. “Muitos europeus e outros poderiam visitar aldeias e ajudar a preservar a cultura”, afirmou.


MS

Guarani e Kaiowá manifestam-se em Dourados e exigem do presidente da Funai a demarcação de suas terras

Em reunião com lideranças e MPF, presidente da Funai comprometeu-se a retomar demarcações e retornar a Dourados em maio com diagnóstico sobre terras indígenas

MPF e DPU ajuízam ação para garantir cestas básicas a famílias indígenas de MS

Comunidades reclamam da irregularidade na distribuição dos alimentos e da falta de novos cadastros para o recebimento do benefício

Indígenas trancam rodovia e ocupam Pólo Base de Saúde no MS pela saída de ruralista do DSEI

“As comunidades enfrentam falta de viaturas, as que existem estão sucateadas, falta medicamentos e até mesmo mão de obra nessa região toda", diz Alberto Terena

Indígena é atropelada no MS e motorista foge sem prestar socorro

Alessandra Sanabrio, de 36 anos, não resistiu e acabou falecendo. Ela vivia na retomada Tajasu Iguá, em Douradina (MS). No momento do atropelamento, retornava do trabalho de bicicleta

Suspensa a reintegração de posse de imóveis rurais ocupados por indígenas em Dourados (MS)

15 mil pessoas estão confinadas na Reserva de Dourados, o que resultaria em dificuldades, especialmente por causa da “falta de espaço de plantio para a maior parte das famílias"

Total de Resultados: 820

Página atual: 1 de 164

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv