Português English

Kaingang protestam em Brasília contra assédios e má gestão na saúde indígena

Inserido por: Administrador em 04/07/2017.
Fonte da notícia: Assessoria de Comunicação do Cimi

Por Guilherme Cavalli, da Assessoria de Comunicação

Indígenas Kaingang de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul protestaram na tarde de segunda (3) em frente à sede da Secretaria Especial da Saúde Indígena (Sesai), em Brasília. As lideranças reivindicam que o governo federal investigue as denúncias de assédio moral e sexual e má gestão de recursos do Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) da Região Sul, que atende os estados do RS e SC.

As denúncias foram entregues em documentos ao secretário responsável pela Sesai, Marco Antônio Toccolini. "Como mulheres indígenas, temos sofridos assédios moral e sexual. Profissionais indígenas e não indígenas vêm sofrendo essas violações e denunciamos há um mês e nada foi feito", comenta Fernanda Kaingáng.

As lideranças vêm a Brasília uma semana depois de ocuparem as sedes do DSEI e da Sesai, em Santa Catarina e Rio Grande do Sul como pedindo de afastamento de servidores acusados de assédio moral e sexual. Na reunião, Marco Antônio Toccolini se comprometeu em enviar uma equipe para auditoria nas contas do DSEI Sul e para ouvir as mulheres que sofreram violações. "A denúncia foi protocolada. Mandarei uma equipe para averiguar a situação ainda essa semana. Para realizar o afastamento dos servidores preciso encontrar indícios de irregularidades que sejam postas como provas", defendeu o secretário.

Diante a posição oficial de Marco Antônio, os caciques afirmaram que continuarão ocupando os escritórios responsáveis pela gestão da saúde indígena, ligados ao Ministério da Saúde, como forma de pressionar por investigações e respostas da União.


Foto: Fernanda Kaingang

DF

Indígenas Munduruku protestam, em Brasília, pela demarcação e proteção de seu território

Lideranças foram ao Ministério da Justiça para cobrar a publicação da Portaria Declaratória da Terra Indígena Sawré Muybu, no Pará

Povos e comunidades tradicionais fazem ato no Ministério da Agricultura depois de marcha

Os povos exigem a imediata revogação dos decretos 8424 e 8425, que questiona a identidade de pescadoras e pescadoras. Reivindicam ainda o cancelamento da portaria que suspende Registros Gerais de...

[vídeo] “Foi um desrespeito”: com spray de pimenta, povos e comunidades tradicionais novamente barrados na Câmara

“Se eles quisessem discutir nossos direitos, a gente estava lá dentro discutindo, todos reunidos”, criticou a quilombola Taiana dos Santos Lopes, do quilombo Morro dos Macacos, na Bahia

Após ocupação, povos e comunidades tradicionais cobram governo em reunião

Na reunião com 30 lideranças, na tarde de terça (22), os representantes do governo não trataram de forma definitiva as pautas dos povos, que criticaram o sucateamento da Funai e do Incra e a PEC...

Spray de pimenta é usado contra povos e comunidades tradicionais para barrá-los à sessão da CPI da Funai/Incra 2

Crianças passaram mal e precisaram ser socorridas. Os povos e comunidades tradicionais seguiram em protesto em uma outra entrada da Câmara Federal

Total de Resultados: 195

Página atual: 5 de 39

Início Anterior 12345678910 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv