Português English

"Querem a cabeça dele como troféu"

Inserido por: Administrador em 18/11/2013.
Fonte da notícia: Assessoria Cimi/MS

Ruy Sposati, de Nioaque (MS)
Da Assembleia Terena
 

Entre os casos de ameaças e ataques relatados por lideranças durante a 4a. Assembleia Terena, o mais sério, hoje, é o da retomada da terra indígena Pillad Rebuá, no município de Miranda. Em Pillad, 2,2 mil indígenas vivem confinados em 94 hectares, divididos em duas aldeias: Moreira e Passarinho. O território teve o primeiro registro de reconhecimento pelo Estado em 1904. Um processo de demarcação teve início em 1950, mas não seguiu.


Em 9 de outubro, a comunidade da aldeia Moreira retomou uma das propriedades que incidem sobre o território reivindicado - a fazenda Trator Mil. Acampados no local desde então, os indígenas sofreram quase uma dezena de ataques a tiros e invasões atribuídos a fazendeiros da região.


Durante a assembleia, representantes da retomada relataram ameaças de morte que uma das lideranças da comunidade, Paulino Terena, tem sofrido. Em depoimento entregue por escrito ao Conselho, os indígenas relatam que "[fazendeiros] querem a cabeça dele como troféu".


Segundo o documento, um ex-empregado de uma fazenda que incide sobre o território reivindicado pagaria dinheiro a dois jovens indígenas "para passarem informação de tudo que está sendo articulado naquele lugar", e que estes jovens teriam levado um "recado" de fazendeiros para Paulino: "ele quer tirar a sua cabeça fora".


Os indígenas desconfiam que possa haver armamento ilegal, drogas ou dinheiro ilícito em algum lugar da fazenda, o que explicaria os ataques e ameaças. "Em uma dessas casas [dentro da fazenda], cogita-se que há existência de armas poderosas e de um cofre. Neste mesmo local há um depósito de óleo diesel clandestino", escreveram os Terena no depoimento. A casa não foi aberta e os indígenas convocam a Polícia Federal e o MPF a averiguarem o local.


Paulino confirma as ameaças, e afirma ter receio de ir ao perímetro urbano de Miranda. "Eles querem um pedaço de mim", expõe. "Já ouvi que querem cortar meu cabelo, cortar minha orelha. Eu ouvi de um proprietário de um supermercado local: 'se [a liderança] pisar dentro de Miranda, tem bala contada pra ele'. Já recebi duas vezes ligação no meu celular dizendo: 'Paulino, vai chegar o dia D'".


Trator incendiado


No último dia 12, fazendeiros expulsaram a tiros um grupo de famílias que havia retomado outra fazenda que também incide sobre a área reivindicada como terra indígena Pillad Rebuá. Um trator pertencente à comunidade também foi incendiado pelos ruralistas, acusam os indígenas.


Uma liderança que estava próxima ao local do conflito expõe a tensão. "Eu ouvi o grito do fazendeiro, dizendo: 'vou colocar fogo nessa merda aqui!' Eu não sabia onde ele ia colocar fogo. Quando olhei, era a fumaça no trator", explica. "Eles também dispararam as armas. Eles atiraram na gente. A gente não quer confronto, então a gente recuou, a gente voltou [para a aldeia Passarinho]".


Leia mais notícias da Assembleia Terena:


Assembleia Terena: "a tragédia está anunciada em Mato Grosso do Sul"

Vivência nas retomadas combate cultura de assimilação imposta pelo Estado


Leia mais sobre as ocupações:


Povo Terena retoma fazenda em terra indígena declarada desde 2007

Em nova retomada, povo Terena ocupa terra tradicional identificada no início do século XX



Notícias

Sesai recomenda suspensão de exonerações e nomeações ao DSEI/MS após ocupação Guarani Kaiowá e Terena

A recomendação do gestor da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) visa desfazer a decisão pela exoneração tomada, segundo o próprio secretário, sem consultá-lo

Primeiro curso de extensão em Histórias e Culturas Indígenas inicia em Luziânia

Primeira edição do curso realizado em parceria por Cimi e Unila iniciou nesta segunda (11), com 50 participantes de diversas regiões do Brasil

Papa Francisco: “que sejam respeitados os povos indígenas, ameaçados na sua identidade e até na sua existência”

Papa Francisco dedica orações de mês de julho e afirma que quer “ser eco e porta-voz dos anseios mais profundos dos povos indígenas”. No final de junho, presidente do Cimi entregou Relatório de...

Morre Léia Aquino, liderança Guarani Kaiowá de Ñanderu Marangatu

Liderança das retomadas, seu corpo foi levado de volta à aldeia, e foi enterrado debaixo de um pé de mexerica, na área da retomada da fazenda Primavera, ocupada pelos indígenas no ano passado

Carta de Brasília: Pela afirmação e garantia dos Direitos Humanos e em defesa da Democracia

Pela garantia da titulação dos territórios de povos indígenas e quilombolas

Total de Resultados: 134

Página atual: 1 de 27

123456 Próximo Final

Endereço: SDS, Ed. Venâncio III Salas 309/314 - Brasília-DF Cep: 70393-902 - Brasil - Tel: (61) 2106-1650 - Fax: (61) 2106-1651        Twitter - Ciminacional Skype - imprensa_cimi
desenvolvimento: wv